Vemos o mundo como nos sentimos

TUDO ESTÁ EM COMO VOCÊ SENTE E REAGE - Sabem, minha fama de indigo (reativa e respondona) durante anos tinha muita justificativa. Me indignava com quem não aceitava mudanças, ou com mentiras, ou inveja e tal, mas realmente ficava furiosa. Recentemente passei por uma série de eventos entre plágio descarado de meu material, falta de respeito e perda de afetos por disputas de ego que apenas existiram na imaginação das pessoas, pois estava tão focada no trabalho que estava exaustivo que sequer lembrava da existência de pessoas que em sua imaginação eu "perseguia", algumas sequer realmente eu lembrava que ja havia conhecido. Agora respirando da correria, um pouco, lembrei de uma palestra que não houve no Congresso de Despertar de consciência e saúde Quantica que participei onde Uma Kirshnamurti deveria palestrar sobre muduar as emoções negativas através da meditação. Comecei a voltar no tempo até a infância, sobre o que aprendi e sobre como todos nós nos indignamos com tudo, nos impressionamos com tudo, e nos sentimos absolutamente impotentes perante as situações que nos cercam. Frustração, raiva, indignação e um nadar inconsciente na piscina de energias gerando um campo magnético de atração de tudo que ressoa com estas frequências baixas, incluindo a incapacidade de transformar o mundo realmente. Observei cada oscilação, cada reação, minhas emoções e sentimentos e o que vi foi mero condicionamento, como um cão que de tanto ouvir um assobio, obedece comandos sem questionar, sem ao menos saber se esta certo, ou um militar. Neste momento parei, e qualquer pessoa pode parar, parar de se importar, parar de reagir inconscientemente. Basta observar-se e ver como esta tudo a sua volta, observar contaminações e aprendizados. Se observamos e aprendemos, podemos construir, crescer e não nos alinharmos com as energias perturbadoras. Estar completamente isento de problemas? Não sejamos assim tão pretensiosos e nem idealizemos que nossos guias não podem tê-los, pois estamos aqui, vivos em meio a infinitas energias. Buda tinha problemas, Jesus, Maomé, você, seu professores, Mestres, todos temos e estamos sujeitos tanto a morte quanto a vida. Um mosteiro de paz pode ser tragado por uma guerra, e isso é fato histórico. Mas realmente podemos mudar muita coisa em nós. Uma amiga estes dias me disse que ela ja teve várias amigas que lhe traíram se referindo a sua adolescência. Respondi que ela não tinha amigas, apenas pessoas que o sentimento dela era amizade, somente dela. Não podemos exigir que o mundo seja da nossa maneira, apenas escolher as nossas energias e as pessoas com quem nos relacionamos, e quando isso não é possível, buscar dentro de si e no que nos cerca uma certa, luz, que muitos chama de Deus e que não cessa nunca, mesmo quando estamos cegos, pois neste caso podemos sentir seu calor.

Postagens mais visitadas