OGUM YARA - A GUERREIRA GUARANI

Saudações a todos os guardiões - OGUM YARA.
Segundo a lenda tupi Yara era uma índia linda e guerreira, pois entre os tupis não havia crendice de que mulher é diferente de homens. Mas são humanos e entre eles havia inveja. Assim seus irmãos tramaram sua morte por ser a mais elogiada guerreira da tribo. Mas ela era a grande guerreira e quando foi se defender de um ataque de 4 guerreiros acabou os ferindo e perderam suas vidas. Foi condenada a ser jogada viva entre os Rios Rio Negro e Solimões. Era ser de luz e como ta foi tratada pelos espiritos naturais e elevados e se tornou uma linda guardiã das falangues do Deus da Guerra Ogum ou Áries. Ela era a força das águas doces, ele o fogo que forja o ferro. Ogum Yara é um entidade que protege principalmente crianças e adolescentes, atuando junto a Senhora Oxum.
Seu Ponto de Invocação...seu mantra é este -

Sua cor é a do orixá sendo o azul forte dos seres do raio azul, mas na Fraternidade Branca atua diretamente com Seraphis Bey na proteção dos que almejam a ascensão e das crianças. Assim tanto Yara como guerreira quanto os espíritos protetores que atuam neste grupo sob o nome de Ogum são todos grandes seres de uma compaixão gigante. Na Lótus atuam tanto com Kwan Yin do destemor quanto com Kwan Yin da cachoeira.
Luz a todos.



CANALIZAÇÃO 

OGUM YARA - A GUERREIRA GUARANI


" Em terra eu me chamava Caeté, mas fiquei conhecida como Ogum Yara. Iara significa aquele que tem o poder. E guardo todas as crianças mas também as mulheres que por terem poder e força são destruídas pela inveja e cobiça dos homens. Não lhes tenho raiva e nunca tive, mas reconheço que toda luz precisa de proteção.

Nasci livre, fui criada como todos na tribo, plena de amor de todos, pois na minha tribo não haviam pais como se conhece, todos criam as crianças. Eu era feroz, mas alegre e por isso era bem aceita. Adorava o jogos de caça e luta e por isso me tornei guerreira e rastreadora. 

Pra uma guerreira ser bonita não é exatamente uma virtude e sim um grande problema, pois além dos comuns desafios de medir força típicos dos guerreiros ainda tem aqueles que querem te dominar, mas não para ter uma guerreira ao lado, mas para te transformar numa mulher parada. Na tribo caçadoras raramente casavam, para não ficar paradas com gravidez, mas algumas conseguiam fazer as duas coisas. Eu não queria.

Quando uma outra tribo invadiu a minha um dos guerreiros me aprisionou e fui feita sua esposa. Não fugi, tudo para mim eu encarava com desafio. Mas quando meus irmãos surgiram, me consideraram traidora. E partiram para cima de mim e minha prole e não tive outra escolha salvo usar tudo o que sabia ferozmente.

Quando a tribo de meu marido foi invadida pelos da minha, meu marido foi morto e eu levada de volta. Mas souberam que eu matara meus irmãos e me tiraram a cria e me jogaram nos rios sagrados. Sabia nadar e mesmo naquela região difícil conseguir sobreviver. Mas a solidão me fez perecer.

Fui chamada a frequência dos guerreiros que vcs chamam de ogum ou raio azul. Minhas cores originais são o azul e o verde. Meu marido atua junto comigo e ambos somos conhecidos como Ogum Yara. 

Recentemente fui chamada a um serviço novo, mesmo dentro do que faço. Proteger uma guerreira que deveria ser professora. E que vive o dilema de ser uma guerreira mas ter por missão ensinar o amor. Nas sua sociedade ainda é novo a união das duas energias. Mas estou feliz com ela e tenho a experiências de conhecer guerreiras do oriente e de saber que somos filhos de uma mesma raiz, de um mesmo antigo continente. 

Hua!

Que todas as flechas de luz abençoe suas vidas e caminhos! Saibam sempre que nós os guardiões estamos sempre atuando pela ordem maior. 




Postagens mais visitadas